Coleção de Ex Libris Jorge de Oliveira

Navegue pelos 141 itens da Coleção

Coleção de Ex Libris Jorge de Oliveira

“Os desenhos de Jorge de Oliveira traduzem o pensamento de seus titulares; em sua concepção, Jorge consegue coordenar as ideias, e com o seu estilo parlante de representação gráfica, alcança uma esplendorosa riqueza de expressão.” (STAMATO, 1992, p. 31)


         Em setembro de 2018 a Biblioteca Central da Universidade de Brasília recebeu a doação da coleção de ex libris do desenhista e exlibrista Jorge de Oliveira. Composta por 2500 ex libris e cerca de 40 livros, revistas e catálogos, a doação foi feita pela sua esposa Arnida Borille de Oliveira e por seu filho, André Borille de Oliveira. A coleção é composta de ex libris originários de diversos países, incluindo o Brasil, elaborados e produzidos por diferentes artistas.

         Ex libris corresponde a uma marca de propriedade, uma espécie de etiqueta que identifica o proprietário dos livros de uma biblioteca pessoal. O 1º ex libris que Jorge de Oliveira confeccionou foi em 1957, para si mesmo, onde descreve: "O desenho teria que ter algo de pessoal, algum motivo que pudesse ser relacionado comigo e/ou meu nome. São Jorge foi o que me ocorreu de início. Mas o santo figurando simplesmente como tal, não me satisfez. Era preciso incluir alguma coisa mais e tornar o São Jorge mais humano, e mais original" (OLIVEIRA, Jorge, 1992, p. 23)

        Jorge de Oliveira nasceu em Valença, no estado do Rio de Janeiro em 1936. Aos 21 anos foi aluno do renomado exlibrista brasileiro Alberto Lima de quem recebeu forte influência. No período em que permaneceu em sua cidade natal produziu 136 marcas de propriedade. Assim como seu professor, Jorge de Oliveira costumava numerar, datar e colocar seu nome em suas obras. Ele também se especializou em charadismo e heráldica elaborando brasões para famílias.

         Além de desenhista de ex libris, Jorge de Oliveira era um colecionador determinado. Sua coleção foi formada através de permuta com outros exlibristas e colecionadores (tanto brasileiros como estrangeiros). O exlibrista correspondia-se com mais de 600 artistas. Em 1967 Jorge de Oliveira perdeu sua grande coleção de ex libris de clichês e gravuras que somavam 15 mil peças numa enchente na cidade de São Paulo.

          A partir 1981 Jorge de Oliveira voltou a colecionar ex libris e “hoje sua nova coleção corresponde a cerca de 6 mil espécimes, acrescida de uma bibliografia especializada que soma 150 volumes, entre livros, revistas e catálogos.” (BERTINAZZO, 2012, p. 141).

          O exlibrista participou de diversas exposições no Brasil e no exterior: Belgrado (antiga Iugoslávia); Gotenborg (Suécia); Minsk (Rússia), Torgiano, Milão (Itália), Lisboa (Portugal) Odessa (Ucrânia), Guadalupe (México), entre outros. Jorge de Oliveira, falecido em 2018 na cidade de Caçador, Santa Catarina, foi responsável por cerca de 400 ex libris impressos e teve seu nome e trabalhos publicados em diversas revistas e catálogos. Desenhista, gravador, poeta e dono de uma das maiores coleções de ex-líbris do Brasil, Jorge de Oliveria figura como o "único brasileiro incluído na enciclopédia Artistas do Ex-libris" (MACHADO, 2014, p. 70).


Referências bibliográficas

BERTINAZZO, Stella Maris de Figueiredo; SEILERT, Sara; MATOS, Simone de Oliveira; ROOSEVELT, Rosangela (Colab.). Ex libris: pequeno objeto do desejo. Brasília : Editora Universidade de Brasília, 2012. 405 p. ISBN 9788523010300.

MACHADO, Ubiratan. Sua excelência, o ex-líbris. In: Silva, Alberto da Costa e; MACIEL, Anselmo (Orgs.). Livro dos ex-líbris. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2014. p. 9-73

OLIVEIRA, Jorge de. Eu e os ex-libris. In: 1ª exposição sul-brasileira d’ex-libris. Caçador, SC, 1992, p. 23-26.

STAMATO, José. Jorge de Oliveira. In: 1ª exposição sul-brasileira d’ex-libris. Caçador, SC, 1992, p. 31-32.

NAVEGUE POR TAGS

Position: 3 (1118 views)